6.9.11

Budweiser e o mercado nacional

 

Em 2008 a InBev compra (US$ 50 bi)  o grande orgulho americano. A King of Beers, assim chamado a Budweiser agora faz parte do portfólio da  InBev. Mas, durante um longo período, nós brasileiros não vimos grandes mudança com a compra da Bud. No entanto, isso está para mudar.

 

A partir desse mês a Budweiser, vai começar a ser fabricada aqui no Brasil, na cidade de Jacareí (SP). A Bud pretende abocanhar o mercado Premium do país. Outro ponto da chegada da Bud no Brasil foi a alfinetada da Bud com a grande Heineken. Durante a entrevista sobre a chegada da cerveja no Brasil, a bud diz que já escolheu o seu alvo a nossa verdinha a Heineken. Para não deixar barato Herbert Gris, diretor da Heineken Brasil, fez um comentário bem interessante "Esta briga não existe na verdade, porque a Budweiser sempre se posiciona abaixo da Heineken em qualquer lugar do mundo". 


Ainda sobre o fato sobre a Budweiser querer tomar o mercado Premium a Heineken deixou um recado “A Heineken é um produto sem conservantes, maturada 30 dias e não 15 como as concorrentes, além de ser fabricada com malte. É, sem dúvida, uma cerveja Premium”. Para o consumidor essa briga é muito boa, afinal em teoria deve fazer com que as cervejas fiquem mais baratas.

Mas, agora vamos analisar um pequeno detalhe. No dia 22 de novembro de 2010 fiz um post sobre a copa de 2014 e a compra da bud. Nesse post, faço um comentário sobre uma medida para a copa do mundo, que seria a suspensão da proibição da venda de bebidas alcoólicas nos estádios. A ideia é que durante a copa possa ter a venda de cerveja nos estádios. Um dos grandes patrocinadores da copa é a nossa Ambev. 

Assim podemos refletir da seguinte forma: Pouco menos de 3 anos para a copa, chega uma nova cerveja no mercado nacional. Durante esse tempo os brasileiros vão se acostumar com a cerveja e com uma forte propaganda vão acreditar que a Bud é realmente uma super cerveja. Chegando no ano da copa, é permitida a venda de cerveja nos estádios, e como patrocinador oficial a AmBev tem o direito de vender suas cervejas nos estádios, que seria a Budweiser. Então caro leitor, uma coincidência ou tudo uma grande jogada? 

Cheers!

2 comentários:

  1. Acho que o aumento de opções é melhor para o consumidor. Espero que reflita no preço....

    ResponderExcluir
  2. coisa de americano... esse povo é tudo megalomaníaco... não duvido em nada da sua teoria Thiago...

    Mas q nem disse a reportagem... a Bud nao é concorrente da Heineken... ambas tem suas características... o povo brasileiro vai amar a Bud pela sua leveza... mas eu não troco minha apreciada Heineken por uma bud...

    primeiro pelo sabor, segundo pelo preço, terceiro pela procedência, quarto pela qualidade, quinto pelo pioneirismo da Heineken que resolveu abrir as portas para Brasileiros tomarem uma boa cerveja bem antes da Bud e não está aqui só porque é o país da copa do mundo... sexto pela fidelidade à empresa que tanto me trouxe alegria...

    claro que de vez em quando tomar uma bud não faz mal... mas a verdinha é realmente fascinante...

    ResponderExcluir