28.4.11

kiss me Kate

 
Amanhã é o Casamento Real (...) então para brindar aos noivos, nada melhor do que a cerveja “Kiss me Kate”, uma criação da Castle Rock Brewery, de Nottingham. Segundo os fabricantes, a cerveja é “elegante, saborosa e totalmente britânica”

A receita é do mestre cervejeiro Adrian Redgrove, que afirmou ser uma cerveja clara, que será elegante e de bom gosto. A cerveja comemorativa será lançada em abril na pressão e apenas 100 garrafas.

25.4.11

Demoiselle Colorado

Eu considero a Demoiselle a melhor cerveja  nacional estilo Porter. Essa brasileirinha já  conquistou medalha de ouro no European Beer Star 2008, na categoria Porter, vencendo importantes e conhecidas marcas européias nesta prestigiada categoria inglesa. Em 2009 a Demoiselle foi eleita “Cerveja do Ano” pela revista Prazeres da Mesa. 


20.4.11

Chocolate e Cerveja

São comuns no mundo do vinho, combinações diferentes. Vinho com queijos, pães, carnes e até chocolate. Com as cervejas não existe diferença. Afinal, o chocolate como café ou até caramelo são ingredientes presentes em cervejas escuras.

Então qual estilo de cerveja é ideal para harmonizar com o chocolate? Por isso a beer sommelière do BeerCode, Alinne Barcellos Bernd, indica alguns rótulos que formam um casamento perfeito com tipos de chocolates.


Novo Layout !

Baixa.la - http://www.baixa.la (http://www.baixa.la/arquivos/1017744_imagem.gif)

Sim! Esse é o novo Layout do O Guia da Cerveja. Depois de muito trabalho e alguns problemas entre os navegadores, fiz o novo layout do blog.

18.4.11

Nada melhor que uma bebida caseira....

Nos últimos anos, começou uma nova geração de cervejeiro. Os cervejeiros caseiros. Esses novos cervejeiros começaram a produzir sua própria cerveja no conforto do lar. Desde então esse novo hobby se espalhou por vários países. No Brasil não foi diferente, com cursos de cerveja artesanal como o da RecBrew (vale apena conferir) ficou ainda mais fácil você torna-se um mestre cervejeiro ou quase.

Com esse ideia a WilliamsWarn criou a sua máquina de cerveja caseira ou a Personal Brewery (foto). Esse "brinquedo de gente grande" realiza todo o processo da produção da cerveja. Desde a fermentação até a degustação. Esse processo leva cerca de sete dias. 


Durante esses sete dias o cervejeiro tem que tomar certas precauções. Os estágios do processo devem ser rigidamente controlados, bem como a temperatura e pressão para a produção de uma boa cerveja.


Certo, até agora está tudo muito bom, cerveja em casa, gelada, feita por você, mas tudo tem um custo. O valor da WilliamsWarn Personal Brewery ou máquina de cerveja custa US$ 4.500 (pouco mais de R$ 7.100). O frete pode encarecer ainda mais o produto. Pelo tamanho e peso da máquina o valor deve ser considerável.

Fora o custo inicial também existe o custo do material para fazer a cerveja: Lúpulos, malte e outros ingredientes que você possa adicionar na cerveja. O mais caro é o malte. Dependendo da cerveja, da quantidade de malte e qual o malte que você usar pode sair bem mais de R$ 100,00 reais cada saco.

A  Personal Brewery pode ajudar bastante aqueles que se aventuram na conzinha. No entanto, o seu valor elevado pode ser um problema. Então vai minha dica: Faz um curso de cerveja artesanal  que você vai  poder fazer tudo e muito mais com as suas panelas e seu bom e velho fogão. Sim! Antes é bom falar com a patroa sobre a sujeira.


Cheers!

14.4.11

Provetuite dia 27/04

Acabei de ver no Twitter a informação do  novo povetuite da Eisenbahn (4 edição) com o grande Juliano Mendes.


"Quarta-feira, dia 27/04 as 20h, tem mais um com @! Dessa vez, ele harmonizará Eisenbahn 5 com burger."





Segue o video do último Provetuite:

13.4.11

Eles acham que mudando a cor da cerveja ela fica melhor...



O Grupo Petrópolis foi liberado pela Justiça para vender a cerveja Itaipava em latas vermelhas. Lançada em setembro de 2010, a embalagem foi proibida de ser comercializada em janeiro deste ano. A Ambev entrou com ação que alegava cópia e concorrência desleal à Brahma, que lançou a lata vermelha antes, em julho. A companhia defendeu que a estratégia da Itaipava, de adotar a embalagem da mesma cor, iria confundir os consumidores da bebida. O Grupo Petrópolis argumentou que o vermelho sempre esteve presente em seu material de divulgação.

Vamos fazer um beerback. Em junho do ano passado, a Ambev lançou uma série de propagandas com a seguinte frase “Porque a lata da Brahma é branca?”.  Alguma semanas  após muita besteira informação sobra à lata, eles anunciaram a grande revolução: “Para não ficar igual às outras agora a Brahma é vermelha – Humm que fantástico...”. 

Agora a Itaipava segue a mesma ideia. Usando o argumento que o vermelho sempre esteve na lata eles criam sua versão vermelha (Cá para nós, ficou igual). 

Infelizmente, em vez de ter uma briga entre as cervejarias para saber quem faz a melhor cerveja ou quem utiliza ingredientes de melhor qualidade, temos que presenciar uma briga para saber quem fazer a latinha mais diferente, achando que o público vai gostar mais ou menos por que ela é vermelha, amarela, verde, branca...

8.4.11

Vende-se cervejaria bem Devassa


Heineken, AmBev, Miller e Carlsberg entram na disputa pela Schincariol. A venda do controle da Schincariol seria a consequência de uma série de problemas que a cervejaria enfrentou nos últimos anos. 

O interesse desses grandes grupos estrangeiros explica, em parte, porque a família que controla a Schincariol avalia sair do negócio de cervejas. O mercado talvez tenha ficado grande demais para um grupo independente, com atuação nacional, e os investimentos para ganhar qualquer ponto de participação de mercado são elevados. 
Somadas, as marcas do grupo Schincariol tem cerca de 10% do mercado brasileiro. As principais delas são a Nova Schin e a Devassa. Com 13 fábricas, a empresa ocupa uma posição no mercado muito próxima ao grupo Petrópolis, que tem quatro fábricas. “Isso mostra uma ineficiência da empresa. Ela não consegue administrar bem seu mix de marcas” afirma um funcionário da empresa.

Com o lançamento da Devassa, a empresa fez uma nova tentativa. Até agora, o investimento não resultou em ganhos relevantes de market-share. A Devassa tem apenas 0,2% do mercado.

Agora uma dúvida que está correndo entre os consumidores é se quem comprar a Schincariol vai manter as receitas e a qualidade das cervejas. Na verdade minha maior preocupação é com a Eisenbahn.

Se for para dar um palpite eu aposto na Heineken. Afinal ela está querendo ganhar mercado no Brasil e essa compra seria um bom começo.



5.4.11

Heineken lança garrafa que brilha no escuro

A Heineken lança no mercado nacional a embalagem Premium Star Bottle, importada da Holanda e que brilha na luz negra. Os desenhos mostram estrelas, símbolo mundial da marca.  A iniciativa quer criar uma experiência diferenciada para o consumo da bebida. Antes da ideia de brilhar no escuro a Heineken lançou a latinha Touch proporcionando um maior contato entre a cerveja e você. Essa novidade estará disponível apenas em casas noturnas selecionadas de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte e Brasília, reforçando o conceito de exclusividade do produto.

  
 
Isso apenas reforça o interesse da marca pelo mercado Brasileiro. Como foi visto no post passado a nossa verdinha pretender aumentar o seu mercado no Brasil. Com o diferencial e junto com a sua qualidade ela só tende a crescer.

4.4.11

Heineken nova lider de cerveja no Brasil?

Jean-François van Boxmeer
Ainda não. No entanto, esse é um dos planos da cervejaria Heineken para os próximos anos afirma o executivo-chefe da cervejaria holandesa, Jean-François van Boxmeer.

Em janeiro deste ano, a Heineken pagou € 7,6 bilhões pela mexicana Femsa, dona da marca Kaiser no Brasil. O negócio proporcionará à empresa as condições para alcançar seu objetivo de aumentar de 11% para 25% a proporção dos lucros na América Latina e nos EUA em relação aos seus ganhos totais.

No Brasil, entretanto, a Heineken tem um caminho árduo pela frente. A Femsa fechou o ano passado com apenas 7,6% do mercado nacional, contra 69,9% da AmBev. Além disso, a Schincariol, que em 2009 ficou com 13,2% do mercado, está investindo pesado na marca Devassa e abriu negociações para a compra da Petrópolis, cuja cota foi de 11,8%.

Mesmo com um monopólio da AmBev é possível observar um recrudescimento de outras marcas, principalmente das cervejarias artesanais como foi visto no post passado (
Artesanais x Industriais ). Contudo, sabemos do potencial da verdinha e com uma estratégia boa, essa cerveja logo vai alcançar a mesa dos brasileiros.



1.4.11

IRON MAIDEN RECIFE



Calma, esse ainda é um blog sobre cerveja. No entanto, aproveitando o momento, dia 03/04 teremos  o grande show do Iron Mainden com venda de cerveja Devassa (que bom). Diferente da última vez que foi Heineken (ai é bom). A venda vai ser feita nos quiosques juntos com alimentos e souvenirs. Isso é tudo, ops quase ia me esquecendo EU VOU hehe.